Informação sobre leishmaniose, causas, sintomas e tratamento da leishmaniose, identificando os diversos tipos, como leishmaniose visceral e outras


Vigilância epidemiológica da leishmaniose visceral

A vigilância epidemiológica da leishmaniose visceral é um dos componentes do Programa de Controle da Leishmaniose Visceral, cujos objetivos são reduzir as taxas de letalidade e grau de morbidade, através do diagnóstico e tratamento precoces dos casos, bem como diminuir os riscos de transmissão, mediante o controle da população de reservatórios e do agente transmissor. A vigilância da leishmaniose visceral compreende a vigilância entomológica, de casos humanos e de casos caninos. A análise da situação epidemiológica indicará as ações de prevenção e controle a serem adotadas.
Dentre os objetivos da vigilância destacam-se:
  • identificar as áreas vulneráveis e/ou receptivas para transmissão da leishmaniose visceral;
  • avaliar a autoctonia referente ao município de residência;
  • investigar o local provável de infecção (LPI);
  • conhecer a presença, a distribuição e monitorar a dispersão do vetor;
  • dar condições para que os profissionais da rede de saúde possam diagnosticar e tratar precocemente os casos;
  • dar condições para realização do diagnóstico e adoção de medidas preventivas, de controle e destino adequado do reservatório canino;
  • investigar todos os supostos óbitos de leishmaniose visceral;
  • monitorar a tendência da endemia, considerando a distribuição no tempo e no espaço;
  • indicar as ações de prevenção de acordo com a situação epidemiológica;
  • desencadear e avaliar o impacto das ações de controle;
  • monitorar os eventos adversos aos medicamentos.
ACOMPANHE OS ARTIGOS DO BLOG NO SEU EMAIL