Informação sobre leishmaniose, causas, sintomas e tratamento da leishmaniose, identificando os diversos tipos, como leishmaniose visceral e tegumentar americana. Abordamos a leishmaniose canina, com dicas para prevenção desta doença.

O que é leishmaniose visceral


A leishmaniose visceral é uma zoonose, de transmissão vetorial que tem como agente etiológico o protozoário
Leishmania (Leishmania) chagasi. No Brasil, esta doença continua sendo um grande desafio nas questões de saúde pública, principalmente pelo potencial endêmico que vem assumindo em vários estados brasileiros. Cães são considerados os principais reservatórios domésticos, sendo monitorados por meio de inquéritos sorológicos, preconizados pelo Ministério da Saúde (MS), que visa à eliminação dos animais sororreatores. Se trata de uma doença crônica e sistêmica, a Leishmaniose é considerada altamente letal, e quando não tratada evolui para óbito em 90% dos casos (MINISTÉRIO DA SAÚDE, 2006).

Há várias regiões consideradas endêmicas no Brasil, como Nordeste e Norte, mas nos últimos anos tem-se notado crescente prevalência de casos em áreas do Sudeste, com aproximação inclusive para periferia de grandes centros urbanos e capitais estaduais (GROSS, 2005).
As manifestações clínicas da Leishmaniose Visceral em cães são extremamente variáveis e representam uma associação de doença visceral e cutânea. A doença também pode ser observada em gatos, porém, a manifestação nesta espécie é considerada mais rara (SALZO, 2008).
Índice dos artigos relativos a Leishmaniose
POSTAGENS POPULARES

ACOMPANHE OS ARTIGOS DO BLOG NO SEU EMAIL